Tel.: (71) 3217-8600 / e-mail: ouvidoriahs@prodalsaude.com.br

Febre maculosa
O que é e como evitar?

Conhecida como “febre do carrapato”, a febre maculosa é uma doença febril aguda, transmitida pelo carrapato e causada pela bactéria Rickettsia rickettsii. É durante a primavera e também no verão que se verifica sua maior incidência.
Para haver a transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar no mínimo 4 horas fixado na pele da pessoa. Os carrapatos mais jovens e de menor tamanho são vetores mais perigosos, porque são mais difíceis de serem vistos. O maior reservatório natural desses carrapatos são as capivaras, mas animais de grande porte também podem trazê-los, como bois e cavalos, e mesmo alguns animais domésticos, como cães, aves e roedores. A febre maculosa não é transmitida de uma pessoa para outra.

Sintomas
A enfermeira sanitarista Edleide Xavier, do Núcleo de Vigilância Epidemiólogica do Hospital do Subúrbio, explica que os primeiros sintomas da febre maculosa aparecem de 2 a 14 dias após a picada do carrapato, mas faz um alerta. “É preciso que a pessoa fique atenta, porque, na maioria dos casos, no 7º dia os sintomas tendem a se manifestar”.
Os sintomas iniciais mais comuns são febre alta, calafrio, dores de cabeça, dores musculares, náuseas, vômitos e falta de apetite. “Com a evolução da doença, outros sinais podem se manifestar, como as petéquias – pintinhas hemorrágicas parecidas com uma picada de pulga na pele -, dores abdominais, dores articulares e diarreia”, enumera Edleide.
O diagnóstico de febre maculosa é feito pelo médico, após a confirmação por meio de exames laboratoriais. Por isso, a enfermeira Edleide Xavier alerta para a importância de se procurar um posto de saúde. “Os sintomas iniciais da febre maculosa são semelhantes aos de outras infecções e requerem assistência médica imediata. Esteja atento ao aparecimento dos sintomas e procure um médico para diagnóstico diferencial”, orienta.

Tratamento
Geralmente, o tratamento envolve apenas medicações sintomáticas, como analgésicos, anti-térmicos, hidratação oral e repouso. “Mas como a febre maculosa pode ser uma doença grave, os pacientes frequentemente têm de ser hospitalizados. Mesmo assim, a maioria deles se cura, desde que o tratamento adequado seja introduzido precocemente”, aponta Edleide.
O atraso no diagnóstico e no início do tratamento podem provocar complicações graves, como comprometimento do sistema nervoso central, dos rins, pulmões, lesões vasculares e, até mesmo, o óbito. “Pode haver evolução para uma cura espontânea, após três semanas, mas, geralmente, se não diagnosticada e tratada rapidamente a doença pode levar a complicações fatais”, acrescenta Edleide Xavier.

Precauções
Se a pessoa viajou para algum lugar onde é grande a possibilidade de haver carrapatos, a recomendação é de que examine o corpo a pequenos intervalos de tempo, já que o carrapato precisa ficar pelo menos 4 horas “grudado” à pele para transmitir a doença. Em áreas que podem estar infestadas por carrapatos, também é importante usar roupas claras, que facilitam enxergar os carrapatos, manter animais domésticos livres deles, colocar a barra da calça dentro das meias ou usar botas de cano alto.
Ao retirar o carrapato que estiver grudado na pele, é necessário cautela. “Se a pessoa esmagá-lo, pode provocar uma injeção maciça de bactérias na corrente sanguínea”, afirma Edleide. O ideal, portanto, é utilizar uma pinça de ponta fina.